9 de junho de 2012

Resenha de "Radiante" de Alyson Noël

Engoli em seco e olhei fixamente em seus olhos, sabendo que deveria dizer algo, o que quer que fosse, mas as palavras não vinham. Disse a mim mesma que ele era apenas um entre vários. Que aquele lugar estava cheio de histórias tristes como a dele. Toda história trágica acabava Aqui. Mas isso não fez eu me sentir nem um pouco melhor. Não tinha o direito de zombar dele com fizera.

Um dia fui até as Livrarias Curitiba e comecei a dar uma olhada nos livros, até que vi a prateleira de promoções. Comecei a fuçar lá e achei os dois primeiros livros da série Riley Bloom em promoção. Fiquei meio com o pé atrás, pois não gostei muito da série Os Imortais. Como estavam baratos, acabei comprando, resolvendo dar uma chance à autora de me impressionar. E garanto que não me arrependi. Quando estava lendo, fiquei pensando se era mesmo a Alyson Noel quem havia o escrito. Ela fugiu dos padrões de Imortais e mudou completamente seu jeito de escrever, sendo mais direta na história, embora os quatro primeiros capítulos sejam meio enroladinhos e tirou toda aquela baboseira de meditação, chacra e Patati Patata da história (para mim, o que estragou a série Os Imortais foi esse negócio de meditação).

O livro narra a história da irmã mais nova de Ever, Riley, que após morrer em um acidente de carro o qual mata também seus pais e seu cachorro, recebe a função de Apanhadora de Almas e parte em uma missão em Londres a qual o objetivo era fazer com que o Garoto Radiante, que morava em um castelo e vivia assombrando as pessoas, cruzasse a ponte. Para lhe acompanhar, vão seu guia Bodhi e seu cão Buttercup.

A narração da história deu à Riley um ar de menina moleca fofinha. Eu simplesmente adorei o livro, só que não gostaria que a série desandasse como ocorreu em Os Imortais. Quando estava lendo, acabei me identificando bastante com a personagem pelo seu jeito de ser. Ao terminar o livro, não vi a necessidade de um outro para continuá-la, e por isso talvez tenha sido o motivo de, no final, ele não te prender tanto na história. Sabe, a Alyson Noel, de uma certa forma me intriga bastante, pois só por ler seus livros, já tenho uma noção de como ela é. Em Radiante, a autora deixou para trás aquela melosidade toda que era em Os Imortais, de "Oh! Mas você é minha alma gêmea". Eu adorei o primeiro livro, agora vamos ver se o segundo é tão bom quanto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário