28 de julho de 2012

Resenha de "O Milagre" de Nicholas Sparks

Atenção! Essa resenha contém spoilers.


- Isso não está dando certo - ela disse apenas, deixando as palavras soltas no ar por um instante. - Você não pára mais em casa e isso não é justo comigo. Não é justo conosco.
- Você quer que eu desista? - ele perguntou, sentindo uma pequena onda de pânico crescer dentro dele.
- Não, desistir não. Mas talvez você pudesse encontrar alguma coisa na cidade. No Times, por exemplo. Ou no Post. Ou no Daily News.
- Isso não será assim para sempre - ele argumentou. - É só por algum tempo.
- Foi o que você disse seis meses atrás - ela falou. - Não vai mudar nunca.

Eu sempre tenho o hábito de ler a última página do livro antes de começar de lê-lo. Eu sei que é idiota, mas eu acho legal. Garanto para vocês que a última página de “O Milagre” é bem reveladora, mas não desperta emoção nenhuma na gente. Porém, à medida que você vai lendo o livro, aquela parte te deixa sensibilizado e esse foi o segundo livro que eu li na vida que eu chorei (o primeiro foi Querido John). Sem contar que é nessa página que você descobre o motivo do nome do livro.

Após receber uma carta, Jeremy, um jornalista investigativo vai até a cidade de Boone Creek investigar umas luzes estranhas que andam aparecendo no cemitério Cedar Creek. Para fazer uma boa investigação, vai até a biblioteca todos os dias para pesquisar sobre a história da cidade e lá acaba conhecendo o motivo do adiamento da sua volta para nova Iorque: Lexie. Desde o começo Lexie diz que não está interessada em um novo namorado, e mesmo que se interessasse, nunca daria certo um relacionamento entre os dois devido à distância das cidades que vivem, ou será que daria?

O Nicholas Sparks mudou o script nesse livro. Embora seja de romance, o foco da história era o mistério das luzes do cemitério de Cedar Creek e o amor fosse um adicional.  Eu achei a ideia genial. Ficou algo diferente, com bastantes cenas de um pouquinho de cada coisa. Incrivelmente, o livro consegue te arrancar algumas gargalhadas rápidas. Eu nunca gargalhei em um livro do Sparks. Esse foi o primeiro. Se não fosse pela teimosia da Lexie, o livro poderia ter a metade das páginas que ele tem. Não que eu não tenha gostado da Lexie, mas o problema foi que ela tinha medo de se machucar e quem não se arrisca, não descobre o bom da vida. Fora que ela foi sacana com o Jer. O final do livro foi meio que irreal. Primeiro que não tem como você comprar passagem para o voo do mesmo dia. Segundo que ele chega ao aeroporto faltando dez minutos para o avião decolar. Impossível. Muito impossível MESMO. A mulher da capa, pelo meu ver, não se parece nadinha com a Lexie. Mas, tirando isso, o livro é muito bom. 

Se teve uma personagem que eu AMEI, essa personagem foi a Doris. Ela é uma velhinha muito simpática e querida e eu meio que me vi nela. Ela também toma chá, igual a mim, que amo chá de paixão. Eu me identifiquei com o Tully também, porque ele era engraçado e irritante ao mesmo tempo. O Jeremy fala que ele é jornalista e o Tully vai lá e pergunta se ele é urologista, como se fosse a pergunta mais normal do mundo. Não sei, eu o achei gente fina. Porém, se tem gente que nós gostamos, também tem gente que detestamos. E o prefeito é um deles. Eca. Eu odiei aquele cara desde a primeira vez que ele apareceu no livro, mas depois dá meio que dó dele porque você descobre que ele não é um sujeito mau. O xerife Rodney também não é o cara mais legal que você vê na história. A primeira vez que ele aparece no livro, dá a entender que o conflito será parecido com o de “Um Homem de Sorte”, mas imprevisivelmente, não é.

5 comentários:

  1. Amo os livros do Nicholas Sparks, e o milagre está na minha lista de desejados há um tempo. Pretendo ler em breve.

    Beijos :)
    ummundodecomentarios.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Gostei dessa coisa das luzes! Você chorou, mas o livro é triste? Porque tenho uma preguiça tão grande de livros tristes e melosos...

    ResponderExcluir
  3. Oiii
    Parece um livro bom, esse mistério das luzes é interessante!
    Gostei muito da tua resenha, quando tiver oportunidade leio!!

    Um beijão
    Lara - Magia Literária

    ResponderExcluir
  4. Gosto das histórias do Nicholas Sparrks, mas não me interessei muito por esse. Acho que julguei ele pela capa e me enganei. Parece ser uma história bem interessante, já que eu gosto muito de mistérios, e, pela resenha, não parece ser uma história tão dramática. Ou é? hahaha
    Ah, tem uma tag no meu blog para você (http://wp.me/p2pQTp-4D)

    ResponderExcluir
  5. Te falar que eu nunca li nada do Sparks rs
    Mas sempre que leio uma resenha imagino aquele romance bem açucarado e, por mais que digam que é bem feito, sempre deixo os livros dele para depois, e esse depois nunca chega hahaa
    A capa já parece se tratar de um romance nesse estilo, mas pela sua resenha ele parece ser bem diferente, a história não gira em torno do casal apaixonado e tem outros atrativos na leitura.

    Primeira vez que venho ao Bagaço, já estou seguindo e curti muito sua resenha! Visitarei mais vezes =)
    fica na Paz!

    Pedro Almada - Inspirados, O Berço das Grandes Ideias!
    http://inspirados-oandarilhodotempo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir